Cayman Sistemas
PRECISO DE UM SITE
MENU
INÍCIO
SOBRE NÓS
PROJETOS
CONTATO
X
SOLICITAR ORÇAMENTO
Foto Blog

Otimização de buscadores (SEO) | Curso grátis para iniciantes

04/06/2020 - Curso de SEO para iniciantes

Existe uma caminho simples para levar clientes até o seu site: a busca do Google. Nesse guia completo, vamos ver na prática como a otimização de buscadores é a ferramenta que você precisa para colocar o seu site no mapa e começar a gerar vendas.

Para quem esse curso serve?

SEO é uma estratégia particularmente útil para empresas que já tem uma estrutura de captação de leads e que agora buscam por escala e demanda controlada. Se você acabou de começar o seu negócio ou seu site ainda não tem tráfego existem alternativas mais rápidas e baratas para alavancar os seus resultados como anúncios em mídia social ou marketing de guerrilha.

De qualquer a forma, eu espero que você tire proveito deste curso e se ficou alguma dúvida, fique à vontade para entrar em contato diretamente comigo por aqui. Boa leitura!

Índice

  1. Por que o Google não me ama? (SEO)
    1. Desempenho
    2. Tráfego e Engajamento
    3. Conteúdo
    4. Links
    5. Localização
  2. Chegou a hora de pesquisar!
    1. Aquisição de dados
    2. Tráfego
    3. Comportamento
    4. Palavras-chave
    5. Análise Competitiva
  3. SEO na prática
    1. Vitórias Rápidas
    2. Sua primeira estratégia de conteúdo para SEO

Por que o Google não me ama? (SEO)

O Google serve um único propósito: levar o usuário ao site mais relevante.

Vários algoritmos do Google trabalham para rastrear sites e o seu conteúdo – chamamos isso de "crawl" - procurando por aqueles com maior “relevância” para o posicioná-los em destaque nos resultados da busca – ou SERP.

Se você vive no planeta Terra então já fez uma pesquisa no Google e viu uma SERP mais ou menos assim.

SERP para SEO

Já que o Google não revela exatamente como esse cálculo da relevância acontece, especialistas em SEO trabalham para estudar quais são os fatores que mais influenciam a SERP.

Segue alguns que, sabemos, são os mais importantes:

Fatores decisivos para a SERP:

  • Desempenho;
  • Tráfego;
  • Engajamento;
  • Conteúdo;
  • Links;
  • Localização.


Como exemplo, suponha que dois sites de padarias competem entre si na pesquisa "pão". Só que:

  • Um site carrega super rápido enquanto o outro é lento.
  • Um recebe centenas de visitas enquanto outro só recebe algumas dezenas.
  • Um tem um público ativo que navega por minutos em suas páginas enquanto outro é rejeitado.
  • Um tem um conteúdo claro e dinâmico, que explica bem sobre todos os seus pãezinhos enquanto outro quase não tem conteúdo.
  • Um é referência na região e outros sites o recomendam gerando links enquanto que outro nem é discutido.
  • Um tem informações precisas sobre sua localização e horário de funcionamento enquanto outro não.


Fica claro para o Google que a primeira opção é um site com muito mais relevância, por isso ele ganha destaque na SERP.

Os algoritmos do Google são muito bons em identificar padrões que dão destaque aos sites relevantes, mas isso não significa que o seu novo site não tenha uma oportunidade de conseguir correr atrás da concorrência e faturar clientes.

Para entender melhor como fazer SEO, primeiro precisamos nos aprofundar nos parâmetros avaliados pelos buscadores.

Desempenho

Hoje, 60% dos resultados no Google vem de pesquisas feitas pelo celular. Por causa disso, a capacidade de um site de se adaptar para o uso mobile é imprescindível, sendo o desempenho do site (a velocidade com que suas páginas carregam o conteúdo) um dos seus fatores mais importantes.

Para saber se o seu site tem problemas de desempenho e como solucioná-los acesse o portal avaliador de desempenho do Google: o Google PageSpeed Insights.

De forma geral, o desempenho de um site depende da programação e dos arquivos que são carregados em cada página. Se você utiliza uma ferramenta pronta - como Wordpress ou Wix - sempre existirão problemas relacionados ao desempenho do site. Isso porque a programação desse tipo de site é pesada e cheia de bugs.

Não quer dizer que você não vai poder fazer bom uso de todas as ferramentas do Wordpress! O problema é que junto com a solução que você queria, um excesso de código acompanha o seu site deixando ele mais lento e mais suscetível a problemas, o que atrapalha o desempenho como um todo.

Outro problema é o conteúdo das páginas. Aqui os principais inimigos são as imagens e vídeos que são carregados no seu site como: banners de plano de fundo, galerias de fotos e vídeos.

Claro, um site precisa ser bonito, mas se o conteúdo não for otimizado para o carregamento, seu site vai encontrar problemas de desempenho e SEO. Vamos falar sobre como resolvê-los mais tarde.

Tráfego e Engajamento

A melhor forma do Google saber se o seu conteúdo é relevante é considerar o comportamento dos usuários no seu site. Existem 4 métricas que você tem que ficar de olho para melhorar o seu SEO: 

  1. Tráfego;
  2. Número de páginas acessadas;
  3. Tempo médio de página;
  4. Taxa de rejeição.

Você pode acessar todos esse dados pelo Google Analytics. Acessando o relatório de páginas, você consegue ver a relação das páginas do site considerando as métricas que eu citei acima. Vamos usar a página da Cayman como exemplo:

Google Analytics da Cayman

Por via de regra, se o tempo médio de página é baixo (menos de um minuto) e a taxa de rejeição é alta (mais de 50%) você tem um problema de SEO para resolver.

Se os usuários estão caindo no seu site e saindo quase que imediatamente, sem interagir com nada significa que eles não encontraram o que buscavam e o Google, então, vai considerar o seu site como irrelevante. Isso pode acontecer por dois motivos:

  • O site não apresenta bem a sua proposta, conteúdo e oferta;
  • O usuário estava procurando por outra coisa;

Conteúdo

Em ambos os casos a solução é trabalhar melhor no conteúdo do site e eu não estou falando apenas do texto na home ou landing page. O meta-conteúdo (conteúdo que aparece na SERP é quase tão importante quanto o conteúdo dentro da página.

Você pode avaliar o conteúdo do seu site utilizando ferramentas de auditoria. Nós gostamos de usar o SEMrush, a sua versão gratuita permite fazer uma análise do conteúdo do site na aba "projetos". Basta incluir o seu site e aguardar alguns minutos para encontrar todos os pontos de conteúdo que precisam ser modificados. Na maioria das vezes esses problemas estão relacionados ao título da página, ao (baixo) numero de palavras por páginas e ao meta-conteúdo (title tag, meta description, meta keywords).

Não trabalhar no meta-conteúdo é um problema muito comum. Empresas de desenvolvimento raramente dão atenção a essa parte na hora de criar um site e as empresas que fazem sites caseiros - por meio de plataforma - não têm conhecimento sobre a importância do meta-conteúdo para o SEO. Vamos falar sobre como melhorar o seu meta-conteúdo mais pra frente nesse guia.

Antes de passarmos para a próxima etapa, temos que pensar sobre as estratégias de marketing de conteúdo. Com certeza você já deve ter ouvido falar sobre a importância do uso de blogs para qualificação de "palavras-chave". Quando o Google analisa o conteúdo do site, ele procura por dicas de que o conteúdo da página é relevante para o usuário baseado na "palavra-chave" que ele busca.

Voltando ao nosso exemplo da padaria. Se o meu meta conteúdo indica que a página é uma padaria (Compre o seu pão online na padaria do Zé) e o conteúdo do site é "rico" - explica em todos os detalhes quais pães ele serve, quanto custa, aonde ele serve e por aí vai - então eu posso esperar uma relevância maior para o meu site do que para os concorrentes que não esclarecem bem o seu conteúdo. 

Só uma última dica: não adianta o meu conteúdo ser rico se o usuário não gosta dele. Eu posso escrever 5 mil palavras sobre como o meu pão é gostoso, mas se o usuário não está interessado em ler e sai da página, então a minha taxa de rejeição ainda vai ser alta e meu site não vai ter relevância. Por isso: Só invista em conteúdo que o seu cliente quer e gosta de consumir.

Links

Se você fez a auditoria do seu site na ferramenta que eu recomendei então deve ter visto também uma métrica chamada de "Backlinks". Uma das formas que o Google utiliza para calcular a relevância é a quantidade de sites que geram links para o meu site. Chamamos esses links de Backlinks.

Os backlinks são um indicador de que o seu site possui informações interessantes, já que outros sites estão citando você como referência para a informação.

A relevância dos sites que geram backlinks para o seu site também soma a relevância. Afinal se um site importante de notícias (como o G1) criar um link para o meu site, então as minhas informações devem ser super pertinentes.

É importante lembrar que links de mídia social não contam como backlinks. Esses links são chamados de links "nofollow" e não são contabilizados para a relevância do site.

Outro ponto é que se sites que tem baixa relevância ou perigosos gerarem backlinks para o seu site eles podem afundar a relevância do seu site. Chamados isso de "Backlinks tóxicos" e mais a frente vou ensinar como resolver esse problema. 

Criar novos backlinks é uma das partes mais demoradas e trabalhosas do SEO, mas vale a pena. Mais a frente vou mostrar como você pode começar.

Localização

Se você tem um negócio local (com endereço e atendimento físico) existem oportunidades interessantes para investir no seu SEO. O Google trabalha com um sistema de pontuação diferente para negócios locais, dando mais oportunidade para pequenas empresas se destacarem nos resultados regionais de pesquisa. Por isso, é importante que o Google saiba que a sua empresa é um negócio local e existem duas formas de fazer isso:

  1. Criando uma conta no Google Meu Negócio;
  2. Incluindo os dados de nome, cidade, endereço e telefone da minha empresa em todas as páginas do site.

Você ainda pode trabalhar com mídias sociais e outras plataformas (ifood no caso de restaurantes) para ajudar o Google a entender que o seu site representa uma empresa local. 

Chegou a hora de pesquisar!

Agora que entendemos para que serve o SEO , vamos aplicá-los na prática! E para isso, a primeira coisa a se fazer é a coleta de dados.

Existem várias soluções que são úteis na hora de analisar o comportamento dos usuários. Como eu citei anteriormente as minhas ferramentas favoritas são o Hotjar, o Google Analytics e SEMrush. Se você já usa o RD Station, também vai conseguir dados interessantes sobre a conversão e tráfego das suas Landing Pages, mas fique a vontade para escolher a ferramenta que cabe no seu orçamento.

Confira o nosso guia completo que mostra como instalar essas ferramentas com o Google Tag Manager.

Aquisição de dados

A primeira coisa a se fazer é uma auditoria completa do site. Você pode fazê-lo pelo SEMrush na aba "projetos". Essa auditoria vai encontrar os problemas técnicos que atrapalham o seu rankeamento na SERP. Aproveite para fazer uma auditoria dos seus backlinks (também disponível na aba de projetos).

Copie o url do site e cole na página do Google PageSpeed Insights para fazer uma análise de desempenho no site. Fique atento a diferença na pontuação entre a versão mobile e desktop.

Tráfego

Em seguida, acesse a sua conta no Google Analytics e faça um relatório do tráfego do site, origem do tráfego, comportamento dos usuários e conversão de metas e eventos. Fique atento as páginas com alta taxa de rejeição, as principais origens de tráfego e a proporção de novos usuários.

fluxo de comportamento google analytics

É bom ficar ligado também no comportamento dos usuários pelo celular, basta filtrar os usuários no relatório por "dispositivo" no Google Analytics.

Se você não sabe mexer no Google Analytics, nós estamos preparando uma material especial aqui!

Comportamento

Vamos utilizar o Hotjar para rastrear o comportamento dos usuários no site usando o mapa de calor e a gravação de navegação. É possível também utilizar o rastreamento de eventos pelo Google Analytics para retirar esses dados, mas esse processo é muito mais trabalhoso.

Para instalar a tag do Hotjar ou de qualquer outra ferramenta de rastreamento de usuários o ideal é utilizar o Google Tag Manager. Gere o código snipet e envie para o seu desenvolvedor. Ou, caso você seja o responsável pela instalação acesse o nosso material sobre como criar tags pelo Google Tag Manager!

O mapa de calor vai apontar quais são os elementos que mais chamam atenção no layout e como a atenção dos usuários flutua pelo site. As gravações servem principalmente para analisar as desistências. Fique atento a fuga de formulários e saída do site na home, esses geralmente são os maiores gargalos para conversão.

mapa de calor do hotjar

O tempo de coleta dos resultados vai depender do número de usuários que acessam o seu site. Como regra geral nós capturamos dados por pelo menos 15 dias para sites com alto número de usuários (mais de 1 mil por mês) e 30 dias para os sites menores desde que o número de amostras sejam suficientes para chegar a conclusões concretas sobre os resultados.

Palavras-chave

Quase todas as ferramentas de SEO entregam as palavras-chave principais que o seu site qualifica na SERP. Eu prefiro o SEMrush, mas você pode usar o Ubersuggest (que é grátis) ou a que achar melhor.

Para iniciar, faça a instalação do Google Search Console. Lá vamos descobrir quais são as pesquisas no Google que estão gerando mais tráfego para o seu site. Você pode também integrar essa conta ao SEMrush para obter resultados ainda mais precisos.

Comece separando as palavras-chave em que o seu site se qualifica nas 10 primeiras posições (provavelmente o nome da sua empresa e alguns outros produtos específicos), depois siga pela lista até encontrar as suas palavras-chave de valor: as palavras que melhor descrevem os seus produtos e serviços ou a intenção de compra do usuário, separe essas palavras e a lista com os sites que ficam nas 10 primeiras posições de cada uma.

Se você não encontrar essas palavras-chave significa que o seu site não está qualificado para aparecer na SERP, ou seja tem relevância zero. Mas calma, não é hora para se desesperar... ainda.

Análise Competitiva

Você pode fazer a análise competitiva selecionando seus concorrentes, refazendo as etapas de análise de dados e comparando os resultados deles com os seus.

Se você não conhece quem são seus maiores concorrentes no digital, comece utilizando a ferramenta Market Explorer, do SEMrush. Nela você consegue encontrar sites concorrentes tanto em palavras-chave como em ramo de negócio.

Feito isso, dê uma boa olhada na análise de sobreposição de tráfego. Ela vai te mostrar quanto dos seus usuários estão entrando no seu site e no do seu concorrente o que é um bom indicador de qual dos seus concorrentes representam a maior ameaça.

Existem casos em que a sobreposição é baixa porque o seu site é irrelevante no digital. Se você tem uma presença muito pequena na internet isso pode acontecer, mas fique tranquilo! Estamos fazendo esse processo de SEO exatamente para resolver essa situação.

Você pode utilizar também a análise de "gap"s do SEMrush para descobrir quais palavras-chave e backlinks o seus concorrentes tem e você não tem (ausentes) ou quais palavras-chave você se qualifica pior do que os seus concorrentes (fracas). Isso vai nos ajudar na estratégia de linkbuilding.

Depois de utilizar o SEMrush na análise competitiva, acesse o site dos seus maiores concorrentes e comece a analisar a sua estratégia de conversão e conteúdo. Eu utilizo duas ferramentas para me ajudar nessa etapa: o MozBar e o SimilarTech Prospecting.

Essas extensões do Google Chrome ajudam a avaliar dois aspectos importantes: Como meu concorrente organiza o metaconteúdo do seu site (Mozbar) e que ferramentas de marketing digital ele está usando para obter mais resultados (SimilarTech)?

Essa avaliação geral dos concorrentes vai ser muito importante na hora de definir a nossa estratégia de linkbuilding. Não adianta muito fazer uma estratégia de SEO se essa estratégia não se destaca dos concorrentes nem os supera.

Se é para entrar no jogo, temos que entrar para ganhar.

SEO na prática

SEO leva tempo, mas tem algumas coisas que você pode fazer logo de cara que vão dar uma turbinada nos seus resultados. A maioria dessas alterações tem de ser feita pelo desenvolvedor do site, por isso se você não tem uma boa parceria com uma desenvolvedora talvez esteja na hora de uma mudança...

Vitórias Rápidas

Comece pelo básico. Exporte os dados da auditoria peça para o seu desenvolvedor:

auditoria de SEO SEMrush

1. Higiene

  • Retirar todos os links quebrados do site.
  • Fazer redirecionamento das páginas com erro 404. 
  • Arrumar erros de loop de redirecionamento.
  • Remover Javascript e CSS não utilizado.

2. Organização

  • Crie links para páginas orfãs ou excluí-las.
  • Resolva problemas canônicos.
  • Garanta que o sitemap esteja funcionando corretamente.
  • Otimize o formato das imagens.
  • Utilize formatação de imagens de última geração.


Fique tranquilo, mesmo que você não tenha entendido partes dessa demanda o seu desenvolvedor vai dar um jeito desde que ele receba os dados do relatório de erros e advertências da sua auditoria. Para as próximas correções você vai precisar da auditoria, da lista de palavras-chave e de um bom redator.

3. Apresentação

Arrumar o meta conteúdo

Os erros mais comuns são "title tags" e "meta descrição" repetidas ou ausentes. Anote as palavras-chave mais relevantes para o seu negócio e utilize-as na produção das novas title tags e descrição para todas as páginas do site individualmente.

As title tags tem que ter entre 50 - 60 caracteres, enquanto que a descrição fica por volta de 160 caracteres. Sempre utilize uma comunicação direta e com chamada para a ação. Se a página vai direcionar para um blog, não invente moda como "diário de bordo" ou "nossos insights". Vá direto ao ponto: "Blog da padaria do Zé", "Aqui você encontra as maiores novidades do mundo dos pães". 

Estrutura do conteúdo

Outro ponto importante é o título H1 da página. Ele deve incluir a palavra-chave relevante a página acessada. Se quiser economizar tempo, pode utilizar o mesmo texto da title tag, mas as vezes vale a pena tentar ser criativo para atrair a atenção do usuário.

Nenhuma página no seu site deve ter menos de 300 palavras. Não seja preguiçoso, descreva em detalhes os seus produtos e serviços. NUNCA copie conteúdo entre páginas. Insira a palavra-chave da página no meio do texto, mas não force a barra, tem que soar como um texto natural. De novo, contrato um bom redator para ajudá-lo nesse trabalho.

Cheque para ver se o seu site tem imagens quebradas ou links de vídeos quebrados. É sempre bom incluir texto alternativo (alt text) na imagens, aproveite para colocar a palavra-chave ali também.

SEO Local

Se você trabalha numa empresa regional, seu conteúdo precisa refletir isso. O Google possui uma política diferente para o ranqueamento de sites de negócios locais, com todo um protocolo diferente que precisa ser seguido. Se você quer saber mais sobre isso, eu recomendo ler nosso artigo especial sobre SEO Local aqui!

4. Poder

As páginas do site estão direcionando o tráfego para ações de conversão? Se não estão, você precisa reavaliar os links internos do site.

O ideal é que 80% das páginas do site direcione para 20% das páginas de mais valor (as que convertem vendas).

Fique atento também para a profundidade dos links. Se uma página fica a mais do que 3 cliques de profundidade você não vai conseguir converter quase nada do tráfego.

5. Segurança e código

Por tudo que é mais sagrado, não faça um site sem criptografia SSL. Para saber se o seu site tem certificado SSL olhe o url no topo da página: se diz lá "não seguro" é porque você não tem o certificado. Caso você não tenha, peça para o desenvolvedor incluir a certificação com urgência porque isso significa que os dados de cadastro dos seus usuários estão abertos para possíveis hackers.

Vá até a função de auditoria de backlinks do SEMrush e veja a toxidade dos links. Se a toxidade for alta, acesse a lista de backlinks tóxicos e renuncie eles. Você pode fazer isso também usando o Google Search Console.

Já que estamos falando do Google Search Console. Acesse o painel principal e procure para descobrir se o seu site sofreu alguma penalidade curso. Encaminhe os resultados para o time de desenvolvedores para que eles resolvam as pendências depois peça por uma reavaliação.

6. Desempenho

Dê uma olhada na auditoria do site e procure por advertências e erros relacionados a "código Java e CSS não minificado". Peça para o desenvolvimento dar um jeito nesses arquivos porque eles estão deixando o site mais lento. 

Cheque se as imagens do site estão compactadas e se no mobile as imagens carregadas são do tamanho certo. Alguns desenvolvedores usam banners do mesmo tamanho no mobile e desktop, mas isso atrapalha o desempenho da versão mobile porque carrega um arquivo de imagem grande demais para a tela do celular.

Você pode usar as recomendações do Google Speed Insights para que os devs melhorem o desempenho do site.

Pronto! Isso deve dar uma geral no seu SEO e angariar algumas posições, mas não acaba por aí. Agora é que o jogo começa...

Sua primeira estratégia de conteúdo para SEO

O jeito mais fácil de conseguir gerar tráfego rápido para o seu site é tentando capturar as palavras-chave que já estão por um fio. Depois de fazer todas as alterações que eu recomendei, faça uma nova indexação das páginas com problemas pelo Google Search Console, espere uma semana e faça um novo relatório de palavras-chave.

Se a sua equipe de conteúdo fez um bom trabalho o seu site deve ter ganhado algumas posições.

Vá para a lista e filtre os resultados para encontrar as palavras-chave nas quais o seu site se qualifica na posição 11 à 15. Essas são as palavras-chave que você tem maior chance de conseguir agarrar. Analise os 10 primeiros colocados: como é o conteúdo da página deles? O que eles estão oferecendo? Existe alguma forma de você gerar um conteúdo melhor?

Separe as palavras-chave com maior índice de busca e com maior estimativa de visitas e então peça para o seu time de conteúdo dar uma incrementada na sua página destino. Se esforce, não copie conteúdo dos seus concorrentes, a ideia aqui é mostrar pro Google que você tem um conteúdo mais relevante e interessante, por isso, não você não tem alternativa a não ser colocar a mão na massa. Seja criativo, invista em mídia, vídeos, pesquisa e crie conteúdos que sejam interessantes de verdade.

Quando nós fizemos a análise de gap, separamos palavras-chave ausentes e fracas. Agora é a hora de usá-las. Realize o mesmo procedimento, acesse o conteúdo dos seus concorrentes e bole uma estratégia para criar conteúdo melhor que o deles. Fique ligado também nas palavras-chave pagas (PPC), essas palavras provavelmente são valiosas já que os seus concorrentes estão gastando dinheiro em anúncios para aparecer entre os resultados.

Por último, acesse a aba de projetos SEMrush no relatório "Link Building". Lá você vai encontrar páginas de blogs e outros sites informativos que já geraram backlinks para os seus competidores. Essa ferramenta é muito legal porque ela mostra quais páginas formadoras de opinião tem maior probabilidade de aceitar gerar um backlink para o seu site.

Gere uma lista de prospectos e procure pelas informações de contato desses sites. A partir daí, crie um conteúdo pensado para cada prospecto, entre em contato e com muita educação peça que eles publiquem um conteúdo com um link do seu site. Se eles forem gente boa, provavelmente vão aceitar. Não compre links e não vá atrás de gente que compra. Além de ser uma furada, o Google é muito bom em identificar e punir compra de links.

A parte difícil do SEO

Tudo que eu mostrei até agora, você consegue fazer com uma equipe multidisciplinar de marketing digital. No entanto, existem alguns problemas de SEO que exigem mudanças drásticas no layout e estrutura do seu site.

Por exemplo, nós discutimos rapidamente sobre o desempenho do site e como ele é um fator importante para o posicionamento no Google. Muitas vezes, existem sites que não foram projetados para ter bom desempenho. Para resolver esse problema, você vai ter que investir em programação e, na maioria desses casos, vale mais a pena começar um site do zero.

Isso é comum com sites que foram desenvolvidos no Wordpress, ou outra plataforma terceirizada.

Como a programação da plataforma é robusta, tem muito "peso morto" de código que só serve para desacelerar o carregamento das páginas e diminuir o desempenho. A mesma coisa é verdade para sites que são hospedados em servidores de baixo desempenho, como hostgator.

Em 2021, o Google iniciará um novo algoritmo, focado no desempenho do site e experiência do usuário. Sites que não tiverem se adaptado as boas práticas do Google até lá sofrerão para ganhar posicionamento.

O jeito definitivo de resolver essa questão é montando um site personalizado com uma desenvolvedora. Você não precisa escolher a Cayman, mas se tiver um interesse real em SEO e conversão de vendas, eu recomendo que preencha o formulário abaixo e venha bater um papo com a gente.

Ok! Esse é o básico que você precisa saber para aplicar SEO na prática! Eu espero que você tenha gostado do nosso Guia. Caso fique alguma dúvida, por favor, acesse o nosso grupo exclusivo de especialistas de SEO. Lá você vai poder trocar ideias com outros profissionais da área e compartilhar suas experiências!

Eu tentei ser o mais objetivo possível. Se você já é um especialista em SEO pode achar esse guia muito raso, mas o objetivo é realmente dar um pontapé inicial para quem acabou de começar a sua trilha pelo caminho da otimização de conversão e vendas. Se você se interessa por conteúdos de SEO e quer algo mais aprofundado entre em contato com a nossa equipe!

Até a próxima!

Está precisando de um site?